7 de janeiro, 90 anos de Gerald Durrell

Como muitos de vocês já devem saber, nosso querido Henry Cavill é embaixador da Durrell Wildlife Conservation Trust, que tem como patrona nada mais, nada menos  do que a Princesa Anne, uma das filhas da Rainha Elizabeth II. Trata-se de uma entidade da Ilha de Jersey, onde Henry nasceu e cresceu, e onde também mora parte de sua família até hoje. A Durrell não é apenas um parque, mas desenvolve programas conservacionistas para cuidar de animais em extinção e abriga vários deles. O trabalho foi iniciado por Gerald Durrell, que se estivesse vivo, completaria hoje, dia 7 de janeiro, 90 anos. A Durrell está promovendo uma homenagem ao seu fundador, que pode ser conferida no site de tributo a Gerald. 
Gerald começou a Durrell como um zoológico, mas já manifestava sua preocupação com as espécies em extinção na década de 1950, quando quase ninguém falava sobre o assunto. Os discursos conservacionistas e manifestações públicas mais concretas sobre a proteção ao meio ambiente eclodiriam apenas duas décadas depois, nos anos  1970. 
Gerald era um homem à frente de seu tempo. Ele entendia a importância da manutenção da vida selvagem para o equilíbrio ecológico do planeta, a relação de interdepência entre todos os seres vivos da Terra e que evitar a extinção dos animais é fundamental para a sobrevivência do próprio homem como espécie. Quando montou seu zoológico, pensou na estrutura como algo muito maior do que um simples local onde as pessoas iriam ver animais exóticos.
Todo o lugar foi pensado como uma reconstrução de habitats selvagens, para que os animais ali abrigados se sentissem em casa e, acima de tudo, sobrevivessem às ameaças de extinção. Professores e pesquisadores estudavam os animais ali presentes, e voluntários ajudavam na manutenção da qualidade de vida dos habitantes do parque, além da própria equipe contratada por Gerald para manter seu zoológico, hoje uma instituição de conservação e preservação da vida animal com alcance internacional.



Como o Henry recentemente conferiu e mostrou ao mundo em vídeos e fotos feitos nas instalações da Durrell em Jersey, o parque hoje abriga animais que estão ameaçados de extinção como os lêmures, espécies ameaçadas de Madagascar, micos da nossa América do Sul, anfíbios das ilhas do Caribe…



Henry é embaixador de uma instituição que apresenta resultados: estudos feitos por pesquisadores da entidade mostraram que os programas da Durrell representaram um aumento global de 49% nas chances de sobrevivência das chamadas espécies-alvo, as selecionadas pela entidade como seu foco de tabalho (entre mamíferos, aves e anfíbios). Os resultados foram divulgados em um gráfico disponível aqui.

A Durrell também se orgulha por ter desenvolvido um programa de treinamento com foco em conservação de espécies ameaçadas. Já passaram pelo seu programa cerca de 4 mil pessoas, em mais de dois terços dos países do mundo. Esse treinamento ajuda a Durrell a ter resultados tão positivos. 
Gerard, com certeza, sentiria orgulho ao ver todo seu trabalho continuado! 
Parabéns Gerard!
Lee Durrell, diretora honorária da entidade e mulher de Gerard. 
(Fotos: Durrell Wildlife Conservation Trust)
Para conferir o trabalho do Henry junto à Durrell, visite http://cavillconservation.com/
Janaína

 

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *