Henry Cavill e sua formação para ator

 
O britânico Henry Cavill, 32 anos, poderia hoje estar no anonimato, no meio de uma bem-sucedida carreira militar, ou de estudos sobre egiptologia (quem sabe até dando aulas sobre o assunto?). Mas graças ao período em que estudou no colégio interno Stowe School, em Buckinghamshire, na Inglaterra, temos hoje seu talento de ator visível a todos.
Ali, no meio de uma excelente educação, surgiram aulas de teatro e as primeiras experiências de Henry nos palcos. Ele foi estudar em Stowe, deixando sua família em Jersey. O começo, Henry declarou que foi difícil: “Eu fui para um colégio interno, aos 13 anos. A educação foi ótima. Mas eu não me encaixava muito bem. Eu não era popular”.
As primeiras participações de Henry foram em peças como ‘Sonho de uma Noite de Verão’, de Shakespeare, e ‘Grease’ no papel de Sonny. Esse começo despertou a paixão de Henry pela interpretação e foi proporcionando mais trabalhos para sua experiência de atuação.
 
Um “empurrão” inicial mais do que especial, foi uma participação em uma cena do filme Prova de Vida (Proof of Life), com Russell Crowe. O filme lançado em 2000 teve uma cena gravada na escola, com alguns alunos jogando rúgbi ao fundo, e entre eles estava Henry, com dezesseis anos na época. Num intervalo das filmagens, ele se aproximou de Crowe, se apresentou e disse que estava pensando em ser um ator.
Foto filme proof of life russell em stowe
 
 
A resposta de Russell foi “’A grana e boa, mas, as vezes, o tratam como m…’ Então todos os garotos que estavam próximos começaram a pedir autógrafos e eu me despedi rapidinho. Dois dias depois, recebi um pacote com doces, uma camisa da seleção australiana de Rúgbi, um CD da banda dele e um pôster de O Gladiador com a frase escrita por ele: ‘Querido Henry, uma jornada de mil quilômetros começa com apenas 1 passo’”. Mal sabiam os dois, neste momento, que se encontrariam anos mais tarde, para contracenar como pai e filho em O Homem de Aço.
Quando Cavill estava com dezessete anos, foi selecionado por diretores de elenco que visitavam a escola para interpretar Albert Mondego em ‘O Conde de Monte Cristo’ e, então, começaram trabalhos na TV como ‘The Inspector Lynley Mysteries’, ‘Goodbye Mr. Chips’ e ‘Midsomer Murders’. Depois surgiram participações em filmes como ‘Hellraiser: Hellworld’, ‘Tristão e Isolda’ e ‘Stardust: O Mistério da Estrela’. Mas foi quando, entre 2007 e 2010, atuou na série de TV ‘The Tudors’, como Charles Brandon, Duque de Suffolk, que sua carreira se projetou.
 

 

 

Houve uma época em que ficou conhecido pelos papéis que não deram certo, como protagonista em Crepúsculo, James Bond, e até no papel do Superman (em Superman, O Retorno de 2006). Chamado de ‘azarado’, Henry mostrou que tem determinação de sobra e persistiu. Até que foi chamado para o papel que o tornaria conhecido mundialmente: Superman, em O Homem de Aço, lançado em 2013.
 
 
Com a boa repercussão de seu trabalho no filme, Henry pode começar a usufruir de seus sonhos de menino. Trabalhar com o que gosta, ajudar a família e usar a popularidade que a fama lhe traz para apoiar causas filantrópicas especiais.
Seu último trabalho, lançado nos cinemas do Brasil este mês, ‘O Agente da U.N.C.L.E.’, prova que ele pode ser muito versátil, e incorporar tanto o drama como a ironia requintada, com bom humor, em suas atuações.  
Que Henry possa nos mostrar ainda mais, através da carreira que ele ama, o seu talento esforçado e genuíno.
Fabiana Franzosi – Crazy for Henry Cavill BR.

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *