Henry Cavill em Entrevista na revista Popcorn

 
Estaria Henry Cavill brincando de James Bond na versão americana? Com “O Agende Da UNCLE” ele juntou-se a Armie Hammer para uma parceria inusitada de espionagem, personagem que está a quilômetros de distância de seu Homem de Aço. Nesta entrevista ele fala sobre seu novo filme e projetos futuros.
O Agente da U.N.C.L.E. é muito estilizado, com bastante humor. É surpreendente te ver em um filme assim.
Você quer dizer que eu sou entendiante? [risos] Na verdade, é exatamente por isso que eu gostei desse projeto. Ele tem o universo de James Bond e outros espiões como base, o que o torna um filme leve, que reinventa o gênero e o leva a outro patamar. Mas não significa que é uma paródia. Guy Ritchie trabalhou em um novo perfil de espião, além de contar com garotas bonitas, carros legais, todo o clima dos anos 60, e assim pode oferecer algo diferente. A história é cheia de referências e moderna, porque ele adicionou o seu especial toque de humor. O mesmo humor que ele utiliza em outros filmes. Meu personagem é uma mistura do James Bond, do Sean Connery, e Don Juan, do Dolce Vita. Também tem um pouco de Cary Grant. E realmente é o que tentamos fazer! O quê eu gosto desse personagem, é que ele é muito sarcástico e que ama ficar numa boa sem complicar as coisas.
Você escolheu esse personagem para quebrar a sua imagem estoica de herói?
Na verdade, para ser honesto, eu me inscrevi para fazer o papel do agente Russo, Illya Kuryakin. Mas o personagem do Napoleon Solo também me agradou, porque ele é muito diferente do Superman. Quando você está caracterizado de um personagem tão icônico, as pessoas tendem a te rotular. E por isso que você deve de fato quebrar essa imagem. Por um longo tempo, eu só queria mostrar que eu podia fazer outra coisa. Mas eu também não quero acabar vivendo um personagem ilusório ou um transexual mal feito. Mas eu quero mostrar ao público que eu posso diversificar meu repertório. Também, muita gente esquece que eu também já fiz filmes e participei de séries que se passavam em diferentes períodos históricos ou eras mitológicas… As pessoas me associam muito ao Superman que até se esquecem que eu não sou Americano, mesmo sendo uma das primeiras criticas que as pessoas fizeram, quando eu consegui o papel.
Mesmo assim, você foi menos criticado que o Ben Affleck para Batman: O seu físico casa muito bem com o personagem.
Você não imagina o número de comentários eu recebi de pessoas que estavam ofendidas porque o Superman estava sendo interpretado por um Britânico. De qualquer forma, é inútil procurar uma explicação que faça sentido para pessoas. Assim como o fato de falarem que os atores Britânicos invadem as produções americanas ou que todos vêm do teatro, mas isso não faz sentido. Diferente do Benedict Cumberbach ou Eddie Redmayne, eu não tenho o treinamento clássico do teatro. Mas é como se nesse meio, você estivesse preso ao rótulo.
Quando você fala sobre rótulos, você quer dizer que eles são dadospelos diretores?
Não, eu acho que os cineastas conseguem julgar a performance de um ator, sem focar em sua origem ou figurino de super-herói. Eles entendem perfeitamente as dificuldades de incorporar um personagem sem perder o foco em sutis características. O público comum, por outro lado, não tem ideia do trabalho que isso da. O público sente a energia da coisa, mas sem saber o porque. É mais ou menos como quando você assiste a uma série científica ou com temas judiciais. Se você não trabalha na área, não consegue internalizar o que o personagem está transmitindo.
Guy Ricthie declarou que ele teve que confiar em você e que ele te deixou bem livre durante as filmagens.
Sim, é verdade. Uma das razões que me levou a fazer o filme, também foi porque Guy era o diretor, e a sua abordagem parecia interessante. Eu não sabia nada da série. Foi o que Guy me falou durante as nossas primeiras reuniões para discutir o projeto. Todo o elenco se encontrou em sua casa em Londres, para beber um vinho e relaxar. Ele nos contou que ele queria um esforço colaborativo, que os atores improvisassem e contribuíssem ao máximo para incorporar os personagens. Isso me libertou do Superman! Não me entenda mal, eu coloquei muito coração nesse trabalho para Napoleon Solo assim como para Clark Kent, mas eles são dois personagens completamente diferentes. O primeiro é mais humano, mais relaxado. Ele pensa nele mesmo e depois pensa nos outros. Ele não é atormentado por um problema de identidade, ele é só ele mesmo e leva tudo numa boa.
Você tentou algum contato com Robert Vaughn, quem interpretou Napoleon Solo na série de TV?
Não, porque eu achei que poderia ser perigoso comparar ao outro ator.Seria muito arriscado encarar o personagem sem ser influenciado, já que é essencial se manter mais original e novo possível. Mas se nós nos encontrarmos um dia, eu terei o prazer de conversar com ele sobre o seu trabalho.
Tiveram algumas cenas mais difíceis do que outras no set?
Como é usual nesse tipo de filmagem, eu me machuquei. Uma pequena ruptura, um monte de colisões, contusões, tendinites… São normais quando estamos lá. Mas nós nunca estamos realmente em perigo, porque tudo está sob controle. Considerando o dinheiro envolvido nessas produções, acabar com um cadáver nas mãos, é a última coisa que eles querem… Mas teve uma cena em que eu me senti mal. Tem uma sequência na qual Armie está preso dentro da água e com um peso no seus pés, a cerca de oito metros de profundidade. Eu tive que mergulhar completamente vestido, nadar até ele e carregá-lo. Exceto na primeira vez, ele não conseguiu soltar o peso pendurado no pé e eu não percebi isso no momento. Então, eu tive um baita problema para alcançar a superfície! Eu pensei que eu ia afundar! Claro, eu sabia que tinha um salva-vidas ali apostos, mas ainda era muito assustador.
Tudo foi filmado em tempo real?
Sim. Apesar que a tela verde não me incomoda muito. Eu estou acostumado a isso. É só aprender algumas técnicas e fazer. É importante saber como construir mentalmente uma sala e se encontrar lá. Você precisa visualizar os detalhesSe não, eles só vão perceber na edição, quando estiverem adicionando os elementos de cena que o resultado não está como o esperado. Esse é um trabalho difícil, mas uma vez que você entendeu como funciona, ele se torna automático. As vezes, você até está influenciando na criação do set.
Ou seja?
Bem, alguns dos mais talentosos especialistas em efeitos especiais também gostam de se adaptar de acordo com os seus movimentos. Eles conversam com você para que vocês consigam visualizar a cena juntos. É um verdadeiro esforço colaborativo. Fizemos isso em The Tudors.
E com Batman Vs Superman – A Origem da Justiça?
Lá, os designers tem uma ideia muito clara do que eles querem! [risos] De qualquer forma, foi uma grande alegria voltar ao meu figurino para esse novo filme. Ser o Superman é realmente um sonho de infância! Aparentemente, ele parece perfeito, gentil e sério, mas ele também tem um lado sombrio…
Muitos acham o personagem muito conservador e fora de sintonia com o seu tempo…
Eu sei que alguns traços do seu caráter não são do agrado de todos. Alguns gostariam de vê-lo com algumas falhas ou um pouco mais de humor. Eu concordo em partes, ele poderia ser menos distante e mais amigável. Mas, poder encarnar um ícone da cultura pop é uma grande honra. Graças a isso, eu consigo me ver trabalhando em diferentes cenários com filmes independentes, porque nós sabemos que ter o ator do Superman engajado em um projeto, o deixa mais fácil de obter financiamento. Esse papel mudou a minha vida e é ótimo poder fazer parte de tal franquia.
Pelo trailer de Batman Vs Superman, parece cada vez mais claro que o confronto dos super-heróis está ligado a destruição causada pelo Superman em O Homem de Aço…
A Warner Bros ter um grande plano para todo o universo DC. Assim, todos os elementos, todas as intrigas, se reúnem de alguma forma. Eles não pensam nos filmes independentemente, mas eles tem uma visão que engloba todo o universo que eles querem criar.
O Segundo Homem de Aço não deve acontecer até 2021. O quê você acha disso? Porque o filme foi adiado para daqui tanto tempo?

 

Como eu te disse, tudo está desenhado, então os filmes tem que se encontrar com isso, e sinceramente, eu não ligo de esperar um pouco antes de estar sozinho num filme de super-herói. É mais divertido trabalhar em times e também põe as coisas em perspectiva. Eu interpreto o Superman, mas acima de tudo, eu não sou ele. Eu não acho que eu sou! Tem uma grande diferença e isso sempre está claro na minha mente. Eu geralmente brinco com pessoas que me chamam publicamente de Superman, eu falo para eles que eu sou um cara normal e que eles não devem contar comigo para salva-los! [risos] Aqueles que querem ser super-homens, podem cair facilmente. Eu sou sortudo de conseguir manter meus pés no chão.
Scans traduzido de Henry Cavill Org

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *