Henry Cavill: Super Espião

Henry Cavill enfeita a capa e estrela o novo photoshoot para a revista Men Fitness. A próxima edição apresenta entrevista exclusiva com ele, na qual Henry fala dos momentos difíceis durante as filmagens de cenas de sexo, sua maneira de agir em encontros, ter sido um garoto gordo, seu treinamento físico para Imortais e Homem de Aço,  e seu mais recente filme, O Agente da UNCLE Leia agora!

Agradecimentos a @bohemianclassic pelos scans!

Por Andrew Harrison Fotos de Doug Inglish

Henry Cavill: super espião

Ele é um verdadeiro cavalheiro inglês, que  se tornou ‘todo-Americano de Hollywood’ pra valer – em primeiro lugar com uma certa capa- vestindo de Kansas a Krypton, e novamente como um incrivelmente leve homem da CIA em O Agente da U. N. C. L. E. Mas tirando os collants, Savile Row (é uma rua conhecida como o coração dos ternos em Londres, que veste famosos e a monarquia, fica na região central da cidade), fatos e identidades secretas, e quem é Henry Cavill? Conheça o homem por trás do mistério.

Eu estou tomando uma cerveja com Superman. Mais especificamente, eu estou tendo uma vista britânica adequada, um reluzente vidro dourado cujas profundezas cintilantes prometem toda a glória dos momentos mais fugazes: o verão Inglês. É um raro dia de sol no oeste de Londres. Estamos sentados no jardim de um pub na frondosa Twickenham – perto de onde a seleção inglesa de rugby joga, um futebol sem capacetes e triturador de ossos muitas vezes descrito como “o jogo de um hooligan jogado por cavalheiros” – e Henry Cavill, de 32 anos, está bebendo seu segundo litro de top pilsner (a pilsner com uma pitada de limonada) e irradiando felicidade.
Cavill está vestindo um moletom verde escuro com capuz dos Royal Marines (seu irmão Nik é um tenente-coronel que serviu em três missões no Afeganistão e na invasão do Iraque), e ostentando (ainda) uma barba descontroladamente emaranhada que garantiria seu anonimato, se não tivesse passado grande parte de 2013 aparecendo no Blockbuster Homem de Aço, bem, uma barba descontroladamente emaranhada. Mas ninguém o incomoda. Estamos longe de Hollywood, em todos os sentidos. “Se eu sugerisse a um jornalista americano fazer uma entrevista tomando uma cerveja”, diz Cavill, “ele acharia que é muito estranho.” (Divulgação completa: Eu também sou britânico.)
Cerveja, mesas de madeira, cães de pequeno porte. A cena não poderia ser mais Inglesa, se Sua Majestade, a Rainha, aparecesse com chá e bolinhos. É justo, porque Henry Cavill é um Inglês muito inglês. Nascido em Jersey, a idílica ilha no Canal Inglês (não a zona industrial adjacente à cidade de Nova York) e educado em Stowe, uma escola privada, Cavill personifica o que seus compatriotas identificam como “classe dos oficiais”. Homens como Cavill de privilegiada educação e escolaridade são frequentemente acusados de serem esnobes. Mas eles também são descritos como firmes, honrados e incessantemente educados. Cavill é o último. Ele é um cavalheiro. Ele é da velha escola.
Então, ele veio como uma surpresa, de volta ao Reino Unido em 2011, quando Cavill foi escalado como um todo-americano Ultimo Filho de Krypton em O Homem de Aço, do diretor Zack Snyder e do polêmico produtor Christopher Nolan na história de origem do Superman, em que a moral turbulenta cuidadosamente controlada de Cavill sugere que os verdadeiros superpoderes do Super-Homem é apenas um levantar de lábios. Seu desempenho convincente estabeleceu Cavill como nome garantido, cimentando o seu lugar na sequência do ano que vem: Batman v Superman: Alvorecer da Justiça, em que ele atua contra ‘O Cavaleiro das Trevas’ de Ben Affleck, e mais duas sequências de filmes da Liga da Justiça, uma resposta da DC Comics para Os Vingadores daarquirrival  Marvel.
Antes de tudo isso, no entanto, Cavill aparece na tela como um personagem que não poderia ser mais diferente do seu Kal-El. Este mês ele interpreta o cínico, que virou superespião Napoleon Solo, em O Agente da UNCLE, re-make frenético do diretor Guy Ritchie da série de TV da Guerra Fria. Alegremente despretensioso, o filme é uma maravilha de ritmo acelerado de design de produção, como Mad Men, mas com lutas e perseguições de carro em vez de reuniões e cigarros. Atuando como coadjuvante Armie Hammer (o Winkleveii em A Rede Social estrela mascarada em O Cavaleiro Solitário) como agente soviético Illya Kuryakin. Napoleon Cavill é um canalha com estilo. Esqueça a verdade, a justiça, por que o modo Solo-Americano está fora disso.
Depois de clamar pelo manto de o último bom rapaz do cinema, Cavill agora também poderá assumir o idiota mais carismático do cinema?
“Eu pensei que era uma história muito boa, realmente muito divertida”, diz ele. “Era exatamente o tipo de coisa que eu queria fazer depois de Homem de Aço.Napoleon é muito divertido, e ele provavelmente está mais perto de meu próprio caráter do que Kal-el.” Ele bebe sua cerveja. “Bem, um pouco mais perto. A chave é, Napoleon não quer realmente salvar o mundo. Ele gosta das coisas boas da vida, como bons ternos, vinho, boa comida. Eu também.”
“A vida é para viver”, diz ele com um sorriso, “não é?” 


Quando Henry Cavill era um menino, seu pai, Colin, um corretor da bolsa, uma vez voltou de uma viagem para descobrir que a casa da família em Jersey havia sido inesperadamente redecorada. Por que tem um novo papel de parede revoltante nas paredes? Ele perguntou à sua esposa, Marianne. “Oh aquilo?”, ela disse. “É mais fácil de limpar que sangue.”

Com cinco meninos em casa – Henry William Dalgliesh Cavill sendo o quarto – Cavill descreve sua vida familiar como “turbulenta”. Sem socos no rosto, nós pulávamos uns sobre os outros e por cima da mobília, quando, ocasionalmente sangrávamos.  Mas todos bem-humorados.”
Como um filho do meio estereotipado, Cavill muitas vezes encontrou-se perdido na multidão da família. “Eu queria fazer o certo por todos e seguir as regras. Muito chato, na verdade!”, diz ele, rindo. “Deve ser por isso que eu era tão impopular na escola, porque eu era realmente um idiota.” Ele se corrige para os leitores americanos. “Desculpe: um verdadeiro babaca“.
Embora Cavill tenha amado crescer fora dos holofotes na tranquila e próspera Jersey, quando ele chegou à sua adolescência, começou a se sentir preso naquela pequena ilha. Ele estava desesperado para sair para a escola como seus irmãos, mas quando chegou ao Stowe, ele descobriu que todos os grupos e panelinhas já estavam formados. Ele era um estranho. Além disso, o herói de ação malhado do futuro tinha um outro problema: ele era gordo.

“Eles costumavam me chamar de Cavill gordo”, lembra ele. “Eu era o alvo principal deles. Eu realmente tinha rolos de gordura em mim. Um cara me disse que eu tinha seios. Eu era um grande comilão, e eu ainda amo comida. Eu ainda sou um indulgente com álcool, comidas, e todas as coisas que eu gosto na vida. Eu nunca fui capaz de fazer as coisas em meias medidas. Provavelmente era por isso que eu era gordo. E, mesmo quando as pessoas se divertiam às minhas custas, não era realmente um bullying. Eu era infeliz e tinha saudades de casa. As crianças amam estar nos internatos britânicos. Você começa a ser você mesmo, e você cresce por si mesmo. Mas vou admitir que eu fui muito amargo por um tempo. Eles também me chamaram de ‘lemon’ um cara que não vai a lugar nenhum com as meninas. 

Atuar deu a Cavill uma identidade. Ele apareceu em produções da escola como Sonhos de Uma Noite de Verão e descobriu que ele tinha um talento para o palco. “Eu gostava de atuar, e de repente as pessoas gostavam de mim”, diz ele. “Stowe poderia ter esmagado minha confiança completamente, eu acho, mas na verdade me preparou para o mundo. Se eu tivesse ido a Hollywood sem ter sido ferido em uma base diária na escola, talvez eu não estivesse pronto para isso. ”
Houve um momento em Stowe que mudou tudo para Cavill, e é tão inacreditável que seria de colocar em prova a credibilidade para um experiente biógrafo. Em 1999, Russell Crowe – que coincidentemente, seria o pai kryptoniano de Cavill, Jor-El, em Homem de Aço 12 anos mais tarde, veio a Stowe filmar cenas para Prova de Vida. Um Cavill de 16 anos apareceu em uma cena extra, correndo em volta do campo de rugby.  Durante uma pausa na filmagem, ele se aproximou de Crowe pedir um conselho. Como esse negócio realmente é?
“Bem”, disse Crowe, “às vezes eles te tratam muito bem. Às vezes é uma merda. Mas o dinheiro é bom e você vai gostar”. Então o tiroteio da cena recomeçou. Poucos dias depois, Cavill recebeu um pacote contendo doces australianos, uma camisa de rugby australiano, e um CD da banda de Crowe e uma foto autografada com uma mensagem: “Querido Henry, a viagem de mil milhas começa com um único passo. Com amor, Russell.” Cavill ainda a tem.
Quando eles se encontraram novamente uma década mais tarde no set de Homem de Aço, Crowe se lembrou da criança da escola inglesa.
“É incrível”, diz Cavill, aparentemente, ainda um pouco atordoado. “Se você o viu em um filme, você não acreditaria que isso pudesse acontecer. Mas ele o fez. ”
O primeiro salto de Cavill para a fama foi através do drama histórico da Showtime Tudors, em meados da década de 2000, quando os espectadores conheceram não apenas seu rosto, mas a maior parte do resto dele também. A série foi pesada nas cenas de sexo, especialmente com o personagem de Cavill, Charles Brandon, homem de confiança de Henrique VIII. Não mais gordo de fato, numa notável forma – Cavill sofreu um bocado na mão de seus irmãos por conta destas cenas.
“Você não acha graça em cenas de sexo mostrando seu bumbum para a nação”, diz Cavill. “É realmente intensamente desconfortável estar nu em uma sala cheia de pessoas. A última coisa que é é sexy.” Ele começa a rir. “A fisicalidade real é muito desconfortável. Tudo o que você está fazendo é bater suas partes contra alguém, e nada vai no lugar.”
Pergunto-lhe o que todo cara que já assistiu a uma cena de filme de sexo se perguntou: Ele já se viu, involuntariamente, excitado no set?
“Só me aconteceu uma vez”, ele admite, “e foi muito embaraçoso. A menina tinha que estar em cima de mim, ela tinha seios espetaculares, e eu não tinha rearranjado meu- ‘stuff’ (acessório de proteção) em uma posição adequada. Ela estava basicamente esfregando-se em cima de mim e, hum, ficou um pouco difícil. Eu tive que pedir muitas desculpas depois. Não é ótimo quando você está em um ambiente de atuação profissional e alguém fica com tesão, não é? Não, não é aceitável.”

Enquanto seu papel como uma máquina de sexo do século 16 levou-o à visibilidade, Cavill por pouco não se tornou um ícone sexual ainda maior. Ele foi um dos dois candidatos finais para interpretar James Bond em Casino Royale. Deve ter doído perder o papel que poderia mudar sua vida, eu perguntei.

“Claro que eu fiquei desapontado”, ele responde. “Mas Daniel Craig fez um trabalho fantástico, e honestamente, eu era jovem demais para ele. Eu estava com 21. Eu teria sido “adolescente Bond”. A coisa certa aconteceu lá “Sua própria visão de Bond tinha sido” um pouco mais Sean Connery”, diz ele: um bastardo arrogante, refinado com um talento para matar”. Mas era mais o momento certo para a versão de Daniel que a minha. A sua era uma reinvenção real. Eu não sei, talvez um dia eu possa tomá-la de suas mãos.”
Se o papel de 007 ainda requerer um corpo talhado, até então, Cavill é um perfeito candidato. Em The Tudorsele tinha estado em boa forma. Mas pelo tempo que ele apareceu como Teseu em Imortais, filme de ação de Tarsem Singh, em 2011, Cavill foi tão esculpido que ele parecia como se tivesse treinado ao lado do conjunto de 300.
“Eu não fui por esse caminho por causa de me tornar um ator de ação”, explica Cavill. “Eu quero contar histórias. Isso é o que me excita. Mas há uma demanda que faz você olhar de uma determinada maneira para Hollywood. Homem de Aço foi a primeira vez que tive a oportunidade no estilo de filmes de ação, e eu tenho que dizer, eu gostei muito. É uma tortura, mas você aprecia o trabalho duro e os resultados que o trabalho traz. É gratificante”.
Não é nenhum segredo que as exigências físicas de homens modernos de liderança em Hollywood vão muito além das experiências de atores de gerações, de até oito ou 10 anos atrás. Na verdade, uma lista-nutrição, exercício e regimes de hoje têm mais em comum com atletas de endurance e fisiculturistas profissionais do que com os clássicos atores dramáticos.
Em termos de fitness, o processo é simples: “Há um período de ganhar massa, quando você consome grandes quantidades de gorduras, carboidratos e proteínas, combinado com um regime de levantamento de peso; que é seguido por um “corte”, quando a ingestão de calorias é reduzida drasticamente e a gordura derrete essencialmente para revelar os músculos. Para Homem de Aço, Cavill trabalhou com o treinador de elite Mark Twight para manter sua condição para uma sessão de mais de 120 dias.
“A construção de massa é a parte divertida”, diz Cavill. “Você começa a comer muito, e você está levantando pesos pesados. Você se sente realmente bom porque você tem grandes números que vão sobre as placas. Mas você está sempre ciente de que você vai ter que comer menos e começar a respirar mais, a fim de mostrar os músculos e as estrias. Elas rastejam sobre você. Essa é a parte menos divertida. ”
A menor ingestão calórica também pode afetar o seu humor. Cavill tem que estar ciente de seu temperamento e tenta não gritar com as pessoas no set. É apenas durante o final “inclinando-se” para o dia de uma sessão sem camisa que os desejos de comida começam a chutar, diz ele. Visão de litros de cerveja e barras de alimentos doces e gordurosos começam a dançar em sua cabeça. É uma provação física e não sem riscos.
Durante as filmagens de Homem de Aço, Cavill tinha atingido a sua gordura corporal ideal, e então para passar dia após dia em um heliporto congelante em Vancouver para o trabalho de tela verde.

“Eu não me importo com dificuldades; eu me considero razoavelmente difícil “, diz ele. “Mas todos os dias? É difícil. “Em um ponto Twight teve de intervir, puxando a estrela para fora do set levando-o a um trailer aquecido – ele percebeu que os lábios de Cavill foram ficando azuis. O ator ficou lá e estremeceu por meia hora. Depois, quando ele agradeceu Twight, o treinador destacou que Cavill podia contrair uma pneumonia ou hipotermia. Ele estava no limite. “E isso, diz Cavill,” era um alpinista falando.”

Nunca há qualquer tempo de inatividade puro deste regime físico. Mesmo durante O Agente da UNCLE, onde “você pode sair com um monte sob um belo terno” – Cavill já estava se preparando para Batman v Superman. Mas ele acha que agora está dominado o pêndulo do ganho de massa, queima de gordura, e recuperação. Dê-lhe uma data-alvo e uma quantidade razoável de tempo e ele vai meter-se onde ele tem que estar… “Quando eu preciso fazer isso, eu vou fazer”, diz ele. “Mas por outro lado eu vou aproveitar a minha vida.”
Se isto vai ser permitido é outra questão. Os dois filmes Liga da Justiça irão estender o seu compromisso com Superman por seis anos e se a franquia decolar como Os Vingadores fez, talvez mais. Sua dedicação a esses personagens iria aquecer o coração de todo geek de quadrinhos. “Eles são os heróis mitológicos dos nossos dias”, diz Cavill, “e eu quero ajudar a contar as suas histórias o quanto eu puder”. Ele parece é quase territorial sobre o Homem de Aço e sua história. “Mas eu não tenho poder sobre o roteiro”, ele admite, “e Chris Terrio [roteirista da série] é um escritor muito bom. Há muito que pode ser feito com Superman. A história Batman é fácil. Ele é escuro e perigoso. Superman, creio eu, pode ser uma história melhor, mas exige 10 vezes o esforço para obtê-la direito. Tudo o que posso fazer é manter meus dedos cruzados no topo com cuidado sobre os personagens, como eu faço”.
Nesse meio tempo, Cavill tem a sua liberdade, incluindo a capacidade de andar em relativo anonimato. “Eu ainda posso sair e fazer cara feia se eu quiser”, diz ele, claramente apreciando o pensamento. “Eu não vou mudar minha vida por causa da coisa da fama. Eu suponho que o que aconteceu comigo foi uma coisa boa. Eu quero aproveitar “E até que o primeiro projeto de Justice League comece a apontar no início de janeiro, ele poderá fazer exatamente o que ele quiser: Cozinhar molhos, jogar jogos de computador só de cueca, passar tempo com seu amado cão – um Akita chamado (o que mais?) Kal, e talvez tentar encontrar um compromisso feliz entre o estilo americano e maneiras britânicas de encontros. Afinal de contas, Cavill cujas – namoradas passadas incluem a amazona britânica Ellen Whitaker, a atriz Kalley Cuoco, e ex-estrela de MMA Gina Carano – está neste momento sozinho.
“Namoro americano é como bombardeios”, diz ele. “Você namora 16 mulheres de uma só vez e, eventualmente, uma delas pode se destacar na multidão? Eu não posso fazer isso. Tenho 32 anos de idade. Eu quero encontrar uma mulher e criar uma família. Eu prefiro a maneira britânica: falar e ver o que acontece, uma de cada vez”.
Superman e superespião, homem de aço e cavalheiro. Funções como estas poderiam empurrar o ego de um cara para as alturas. Mas parece que a vida deu a Henry Cavill a educação certa para lidar com isso. Acontece que os valores ingleses de reserva e trabalho duro valem alguma coisa em Hollywood, também.
“Há pessoas que tem melhor aparência que eu”, diz Cavill, “e pessoas que são melhores atores do que eu. Eu só tenho que vencê-los nesta perseguição.”

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *