The Witcher | Henry Cavill em The Witcher: “Geralt conta muito, principalmente quando não fala”

O Portal traduziu mais um material que a Redanian Intelligence compartilhou em seu site, uma entrevista recém-publicada na revista alemã Serien, onde Henry Cavill fala sobre o seu papel de Geralt de Rivia em The Witcher nova série na Netflix.

Como você descreve o personagem de Geralt of Rivia?
Geralt conta muito, principalmente quando não fala. Isso foi um desafio. Quando todos ao seu redor estão conversando e ele assiste, seu olhar e seus gestos estão dizendo mais de mil palavras. Esse é um aspecto muito importante da personalidade dele.

Segue abaixo a tradução:

Como você descreveria o mundo de “The Witcher”?

O fascinante é que, além de todos os elementos de fantasia, como elfos, gnomos e magia, existe uma camada muito real. Por exemplo, é sobre racismo, injustiça social, comportamento colonial. Na verdade, também não há heróis, portanto, nenhum pensamento em preto e branco distinto. E é por isso que a história não é interessante apenas para os fãs de fantasia.

Você já conhecia a saga antes de filmar?

Sou uma grande fã de fantasia e ficção científica. Joguei os jogos antes de chegar aos livros. Então, porque eu conhecia a história em particular, o projeto me atraiu imediatamente.

Como você descreve o personagem de Geralt of Rivia?

Geralt conta muito, principalmente quando não fala. Isso foi um desafio. Quando todos ao seu redor estão conversando e ele assiste, seu olhar e seus gestos estão dizendo mais de mil palavras. Esse é um aspecto muito importante da personalidade dele.

Além de você, existem outros dois personagens principais da série, Yennefer e Ciri. Como temos que imaginar a história? Vocês estão em uma jornada juntos como os companheiros de “O Senhor dos Anéis”?

Não, e isso é interessante. Todos os três estão em caminhos diferentes que acabam convergindo, é claro. O problema com Geralt é, por exemplo, que ele pensa que está sempre no controle. Mas, na verdade, seu ambiente está controlando-o. Ele é aquele personagem maravilhosamente teimoso, mas ao mesmo tempo sensível, liderado pela determinação.

Você ficou famoso como Superman. Quanto esse papel influenciou você?

Isso mudou tudo. Absolutamente tudo. Por esse papel, fui introduzido no mundo da cultura de histórias em quadrinhos. O que difere esse papel dos outros é que você precisa vivê-lo até certo ponto. Especialmente quando você conhece jovens que não conhecem Henry Cavill, o ator. Eles veem o Super-Homem. Essa é uma grande responsabilidade, uma responsabilidade que de bom grado assumo, porque significa muito. Quando eu, por um único encontro ou ação, posso influenciar positivamente a vida de um jovem, isso é incrível.